"Tornei-me insano, com longos intervalos de uma horrível sanidade" - Edgar Allan Poe

Seguidores

Siga

Siga

Postagens populares da semana

sexta-feira, 17 de março de 2017

Deuses Brasileiros - Carnaval






Carnaval é uma palavra originária do latim e é proveniente dos termos “carnis” e “levale”, significando “adeus à carne”. Isso se deve ao fato de preceder a Quaresma, período em que a Igreja Católica quer que os fiéis façam jejum e penitência. Os festejos carnavalescos foram trazidos ao Brasil pelos europeus, principalmente da França e da Itália, que promoviam grandes festas nesse período. Fantasias como pierrô e colombina, originárias da França, tornaram-se símbolo do Carnaval no Brasil.
                                                                                                           significadosbr.com 



O bloco ainda estava passando pela rua, Carlos via tudo de seu apartamento no sexto andar, sua janela dava direto para a rua, e de lá ele via aquele amontoado de gente atrás de um caminhão com música alta, esquecendo todos os seus problemas com saúde, educação e segurança, eles se divertiam como se tudo estivesse uma maravilha, bebiam até cair, se pegavam sem nenhum discernimento ou responsabilidade, mijavam nas ruas deixando na manhã seguinte um cheiro insuportável nas ruas.

Ali da sua janela ele viu uma mulher sendo levada para um canto afastada por um cara, eles não paravam de se beijar e se tocar, entraram em um beco isolado, seria tudo normal até aí, outros três homens foram atrás deles. Carlos esperou que fossem apenas amigos, mas era apenas amigo do cara, os quatro começaram a abusar da moça sem o seu consentimento, o estupro dela era eminente. Carlos correu para o seu celular e ligou para a policia, tocou diversas vezes até que alguém atendeu.

- Alô! Uma mulher aqui na rua de baixo está sendo estuprada, perto do bloco de carnaval!


- Calma filho, é carnaval, eles estão só se divertindo.

- Não, você não está entendendo quatro caras vão estuprar ela.

- Tenho outro chamado vou desligar.


Carlos ficou indignado com a postura do policial ignorando o que estava acontecendo, então ele decidiu descer e impedi-los, pegou uma faca na cozinha e quando foi abrir a porta foi impedido.

Uma mão muito quente e pegajosa segura seu braço e o empurra pra trás. Ele tropeça no tapete caindo no chão. Entre sua planta e a porta na sombra uma pessoa estava parada de braços cruzados, e movimentando a cabeça de forma negativa.

- Por quê? Por quê? Meu filho, porque você não é como todo mundo? Olha a alegria dessas pessoas, elas estão felizes, porque se preocupar tanto meu filho?

- Quem é você?

- Não está me reconhecendo? – ele se aproximou. – Carnislevale, o Deus do carnaval. – ele tinha a forma de uma pessoa normal, mas com diversas penas tortas cravadas nos braços, pernas e cabeça, tinha os olhos esbugalhados e seu sexo exposto, sua pele tinha uma luminosidade dourada.


- Viu filho? A loucura faz parte de todos, se entregue também a esse mundo de prazer e violência, é disso que todos gostam e amam, faça de mim a sua divindade e o prazer eterno será a sua recompensa. Se entregue ao prazer carnal!

- Não!

Vendo sua resistência a entidade se enfurece, enfia seu braço no ânus de Carlos até que sua mão saiu pela boca dele, e com a mão, tipo um boneco de ventríloquo, o faz dizer sim.

        Baseado no livro Deuses Americanos , de Neil Gaiman


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LENDAS URBANAS

LENDAS URBANAS

Postagens populares

100.000

100.000

Página no Facebook