"Tornei-me insano, com longos intervalos de uma horrível sanidade" - Edgar Allan Poe

Envie o seu conto:

Envie o seu conto:

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Prostituta de Sangue – O Despertar da Besta



23 de Junho de 1993

“’Eu fiz minha cama em sepulturas e caixões, onde a peste negra mantém seus troféus ganhos. ’ Escutei esse pedaço de poema de Shelley em algum lugar, mas não me recordo onde, me desculpe à falta de educação querido diário. Há um tempo eu disse que não escreveria mais, estive muito ocupada durante um bom tempo, aceitei inteiramente quem eu sou e hoje sou casada com a escuridão, entendi certas peculiaridades da minha nova condição, sou forte e ágil como nenhuma outra mulher já fora antes de mim, fiz algumas pesquisas em livros antigos e descobre o que eu já sabia, mas queria apenas ter cem por cento de certeza, sou uma vampira, quase tudo que encontrei nos livros se mostrou apenas fantasias literárias, continuo com meu reflexo em frente ao espelho, continuo me alimentando de comida, principalmente carne crua, não me acontece nada quando estou perto de alho ou prata, mas sinto desconforto quando estou perto de algum crucifixo, estou adorando ser quem eu sou cada dia mais linda e irresistível.” 


1 de Julho de 1993

“Querido diário, comecei a ficar um pouco entediada, tenho tanto poder nas minhas mãos que queria ingressar em alguma aventura, talvez eu deva viajar pelo mundo descobrir novas culturas, explorar esse mundo tão grande, só preciso achar uma forma de fazer isso, o meu grande problema é o sol, eu posso andar de dia normalmente, só não posso ser tocada pela luz direta do sol, a dor é inacreditável, ao contrário das pessoas normais que desmaiariam ou morreriam com tamanha dor, como sou imortal sofro do começo ao fim, talvez pela eternidade”


22 de Julho de 1993

“Querido diário, hoje aconteceu algo muito estranho, faz alguns dias que sinto alguém me seguindo, tenho tomado mais cuidado do que de costume, confesso que nos últimos tempos relaxei com a descrição, me senti tão poderosa ultimamente. Hoje vi o mesmo cara diversas vezes, tenho absoluta certeza que estava me seguindo, vestia um terno e gravata muito elegante, talvez fosse alguém muito importante, sempre que ia atrás ele desaparecia no meio das pessoas como um fantasma, não tenho certeza que ele tenha me visto se aproximar, fui muito cuidadosa, mas esse homem misterioso está me preocupando. ”


30 de Julho de 1993

“Querido diário, tenho uma notícia boa, estava caminhando pela madrugada quando me deparei com um carro vazio parado no meio da estrada, seria apenas mais um alimento fácil, segui os gritos e gemidos, pra mim era só um casal fazendo alguma aventura que no final iria ser meu aperitivo pro final de semana. Mas eram três homens estuprando uma jovem menina, meus sentimentos que eu achava que estavam enterrados tomaram conta de mim. 
Peguei o primeiro de surpresa com as calças arriadas, literalmente, com minhas unhas grandes e fortes, arranquei seu pênis com bolas e tudo, enquanto me observava gritando de dor eu lambi o sangue em minhas mãos, os outros dois vieram pra cima de mim com tudo, mas coitados não tiveram nem chance, esquartejei os três da forma mais dolorosa possível, bebi cada gota de sangue com estremo prazer.


Fiquei ali em êxtase quando me lembrei da pequena menina ainda ali deitada no chão com seu corpo nu a mostra o sangue escorrendo por suas pernas, o sentimento de poder tomou conta de mim, me juntei a ela no chão e comecei a beija-la, ela retribuiu minhas caricias como se estivesse agradecendo a sua salvadora, sua heroína, nesse momento senti um outro nível de prazer quase que mortal, com seu pescoço ao meu alcance mordi com vontade sugando seu sangue jovem e delicioso, voltei a mim antes que a matasse. Levei seu corpo desacordado comigo, na hora não sabia ao certo o que iria acontecer, mas depois de alguns horas dela agonizando e depois se contorcendo no chão, finalmente ela despertou, agora eu tenho uma irmã de sangue, seu nome é Lilly.” 


10 de Agosto de 1993

“Querido diário, estou me divertindo demais com minha nova irmã, tenho a ensinado tudo o que eu sei, não é muito, mas é o suficiente pra sobreviver e viver como uma deusa entre os mortais. Depois dos primeiros dias de aceitação de sua nova condição tudo correu super bem, ela aprendeu rápido a controlar os seus novos dons, se tornar vampira só a deixou mais bela, confesso que me apaixonei por ela, longos cabelos ruivos, boca carnuda e olhar penetrante, ela seria uma companheira maravilhosa pra passar a eternidade.”



25 de Agosto de 1993

“Querido diário, estamos viajando bastante pela madrugada, passamos em Santa Helena uma cidade a 200km de Goiânia nos divertimos com uma jovem chamada Jade que tinha uma paixão peculiar por sangue, mas não era vampira apenas uma psicopata, depois fomos pra Natal aproveitar as praias de lá , de noite é claro e fizemos amizade com outra garota com gosto pra sangue, Karine, tudo estava maravilhoso. Entravamos nas festas e esperávamos os mais babacas começarem a se mostrar pra meninas e na saída atacávamos.”

2 de Setembro de 1993

“Querido diário, pretendo me mudar pro Amazonas, fazendo uma rápida visita por lá, senti que seria perfeito pra abrir algum negócio e morar por lá em um lugar um pouco isolado e longe de qualquer um que pudesse descobrir a gente, pena que Lilly não gostou muito da ideia, ficou braba no começo queria continuar explorando o mundo, mas a convenci de aceitar o que estava pedindo, confesso que fui um pouco mandona, mas ela tinha que aceitar o que estava pedindo.”

7 de Setembro de 1993

“Querido diário, está cada vez mais difícil controlar Lilly, ela tem se afastado de mim, moramos agora perto da mata amazônica em Tapauá um lugar lindo e encantador, mas ela não gosta de nada brigamos quase que o tempo todo, não sei quando tempo vou aguentar isso.”

10 de Setembro de 1993

“Querido diário, hoje tivemos nossa pior briga, discutimos porque ela sugou um cara perto de onde moramos, eu tinha falado pra nunca fazer isso, poderia ser perigoso pra nós. Ela não me entendeu, partiu pra cima de mim tentando me agredir, como sou muito mais forte que ela não tive dificuldades em detê-la, isso a deixou ainda mais braba comigo.”


12 de Setembro de 1993

“Querido diário, fui pra dentro da mata assim que anoiteceu caçar algum animal pra nos alimentar, mas quando voltei Lilly já tinha me abandonado, ainda estou à procura dela, não vai ser difícil encontra-la, está furiosa deixando um rastro de sangue e copos muito fácil de encontrar.”



14 de Setembro de 1993

 “Querido diário, demorei um pouco mais do que esperava pra encontra-la, estava realmente furiosa deixou dúzias de corpos mortos sem sangue por onde passou, estava quase amanhecendo quando finalmente a encontrei encima de um penhasco, mas pra minha surpresa não estava sozinha, uma pessoa encapuzada estava atrás dela. Pensei por um momento que ela tivesse transformado alguém, mas depois do que ele fez isso era impossível, a pessoa encapuzada quebrou as pernas e os braços da Lilly e a deixou lá encima enquanto os primeiros raios de sol a queiram até ela virar pó. Nunca vi uma pessoa tão rápida assim na vida ou morte, antes que eu pudesse ter reação ele já estava na minha frente, tirou o capuz e pra minha surpresa ele era um vampiro, seus olhos assustadores e ameaçadores fixos em mim me fizeram sentir uma presa novamente, me fizeram sentir de novo uma menina assustada nas mãos do Duda “Gancho”.”




sexta-feira, 17 de junho de 2016

Um Brinde pra Vingança





Aquelas lindas declarações vindas de alguém tão belo como Thiago fez Jade se derreter como um cubo de gelo no calor, os dias se tornaram melhores, as pessoas ficaram mais suportáveis, tudo que era preto e cinza tinha se tornado num arco-íris. Jade sempre foi uma garota tímida, apesar de linda, escondia isso do mundo a todo o custo, a tristeza sempre batia no seu peito como uma faca afiada, ninguém a entedia, sofria calada com o olhar de desdém dos outros, até mesmo sua família não a entendia, mas depois de um mês de trocas de carinhos por mensagens estava se sentindo viva novamente.

Comprou as passagens de ônibus, Thiago morava longe, mas ela estava decidida a encontra-la e cair de corpo e alma nesse conto de fadas. Comprou a melhor roupa da loja, se maquiou como nunca antes tinha feito na sua vida, finalmente se sentia bonita, aquela tristeza que a fazia querer morrer estava quase extinta, sem contar pros seus pais embarcou nessa aventura que não poderia dar errado.


O dia estava perfeito o sol radiante no céu só era menor que seu sorriso de felicidade, mas esse dia lindo rapidamente se tornou negro como as trevas, seus olhos praticamente sangraram quando ela viu o amor de sua vida com outra garota, aos beijos sem se importar com quem os visse.

Jade ficou descontrolada, a dor em seu peito era tão grande que pensou que fosse explodir a qualquer momento, não deixou ser vista, ficou perambulando pela cidade até que deu seu horário de voltar pra casa, foi direto pro seu quarto, ignorou os xingamentos de sua mãe por seu sumiço, se atirou na cama e chorou a noite inteira, chorou tanto que teve que trocar o travesseiro encharcado.

Estava determinada a se matar, toda aquela tristeza que sempre esteve com ela e momentaneamente tinha desaparecido voltou mais forte do que nunca. Comprou um litro de vinho escondida bebeu todo em um gole só, pegou a gilete e cortou os pulsos. Acordou na manhã seguinte no hospital sob o olhar de desaprovação de todos, mas estava determinada a acabar com aquele sofrimento, conseguiu comprar de um traficante um recipiente de veneno.

Escreveu uma carta de despedida, apenas dizendo os motivos, mas nunca pedindo desculpas pelo o que ia fazer, antes de fazer qualquer coisa, resolveu se despedir de alguns amigos mais diretamente, foi quando viu uma mensagem de um tal de William, como não tinha nada a perder e estava em clima de despedida começou a conversar com o rapaz, acabou contando toda a sua história, a conversa estava tão boa que nem percebeu que já tinha amanhecido, ele também passava pelos mesmos problemas de depressão que ela, então resolveu adiar seu suicídio, até que depois de algumas semanas desistiu. William contou o que tinha feito com a pessoa que tinha destruído seu coração, Jade decidiu fazer o mesmo, a tristeza com a ajuda dele se tornou raiva e essa raiva foi transformada em ódio, estava sedenta por vingança, e incrivelmente esse sentimento a fazia melhor.

Jade continuou falando com Thiago como se nada tivesse acontecido, descobriu os dias que ele ficava sozinho e decidiu agir. Durante um mês inteiro treinou tudo com William que mostrou como ela deveria fazer cada coisa sem deixar vestígios, comprou algumas drogas pesadas e uma quantidade de dinheiro pra simular que foram traficantes.

Jade invadiu o apartamento de Thiago na calada da noite, escondeu as drogas e o dinheiro no armário dele, no escuro ficou esperando a sua chegada. A excitação daquele momento era quase que um prazer sexual, nunca esteve tão bem na sua vida, entendeu que ninguém poderia ser tão importante quanto ela mesma, não valia a pena morrer por um verme, mas ele tinha que pagar pelos seus pecados.

Thiago entrou pela porta e foi surpreendido por uma agulha no seu pescoço caiu como um bebê recém-nascido acordou amarrado na sua cadeira com a boca tapada, tentou sair de algum jeito quando Jade apareceu vestida com um tipo de roupa em látex que deixava suas partes intimas a mostra, se esfregou nele como se estivesse mostrando o que ele perdeu, quando notou que seu pau tinha ficado duro pegou sua faca e arrancou suas bolas de uma vez só, se contorceu o que pode de dor, as lágrimas jorravam feito cachoeiras.


Jade fez um curativo pra ele não morrer com a falta de sangue, porque ele ainda tinha que sofrer mais. William entra pela porta, beija Jade e transam por cima dele, ela fazia questão que ele visse com detalhes tudo o que estava acontecendo. William pega um copo e serve um Champanhe, que estava dentro da geladeira, fazem um brinde pra vingança. Cada um dá uma facada no seu estômago, ele agoniza enquanto os dois vão embora de mãos dadas.


100.000

100.000

Página no Facebook