"Tornei-me insano, com longos intervalos de uma horrível sanidade" - Edgar Allan Poe

Seguidores

Siga

Siga

Postagens populares da semana

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Outra Dimensão


Paulo estava vagando pela rua quando encontra uma casa abandonada, a casa era cercada por um portão enferrujado que estava entre aberto, a grama estava alta, a casa tinha a aparência de ser extremamente velha, as paredes pelo lado de fora estavam podres, a minoria das janelas estavam inteiras, e o teto tinha vários buracos. Já estava no final da tarde, mas o sol ainda brilhava no céu, era um dia calmo e comum, algo que Paulo achava um pouco triste, ele então resolve entrar na casa.

Paulo passa pelo portão que estava entre aberto, o rangido do portão era irritante, a grama estava alta na altura de seus joelhos, antes de avançar mais um pouco ele pisa em um animal estranho, parecia um rato comum com a exceção de ter 8 patas e duas cabeças, o bicho corre matagal a dentro. Paulo continua a sua caminhada até a casa, o vento soprava e mexia a grama, ele chega na porta, era grande a maior que ele já vira parecia ser do Séc.XIX, assim que ele entra no recinto a porta se fecha sozinha, Paulo tem a sensação de estar passando em um portal pra uma outra realidade, aquela não parecia uma simples casa agora, mas sim um universo diferente, uma outra dimensão.

A cada passo que ele dava era como se fosse o primeiro de sua vida, dada a sensação de novidade, seu coração havia disparado, Paulo sabia que se continuasse a sua aventura pela casa ele voltaria diferente ou talvez nem voltaria. A luz dentro da casa era muito pouca, apenas fachos de luz vindos do teto e das janelas quebradas, a sala era enorme e ocupava quase toda a casa, haviam poucos móveis os que tinham estavam em pedaços.

Ao percorrer a sala Paulo nota um movimento estranho dentro de um vaso velho cheio de areia, era como se uma grande minhoca estivesse dentro da areia, depois de alguns minutos de movimentos uma pequena plantinha começa a crescer dentro do vaso, e não parou mais até virar uma grande árvore que segundos depois vira areia dentro do vaso. Paulo ainda estava tentando entender o que tinha acontecido ali, quando um cavalo branco cruza a sala e empina na frente de Paulo e desaparece logo depois. 

O coração de Paulo parecia que ir sair pela boca tamanho o susto que ele levou, mas as surpresas não pararam por aí, um passarinho entra por uma das janelas quebradas e para no pé de Paulo, ele se abaixa pra tocá-lo quando o passarinho se transforma em uma grande águia e o ataca com suas grandes garras afiadas, Paulo se debatia e a águia continuava encima dele, quando Paulo achava que não tinha chance de sobreviver, uma voz esquisita manda a águia parar o ataque, a águia retorna a sua forma de passarinho e sai por onde entrou, aliviado Paulo procura a pessoa que o salvou, mas pra seu espanto a voz vinha de uma bola de gosma que estava encima de uma cadeira de balanço.


- Quem é você, filho? – A bola de gosma falou pra Paulo.

- E...Eu... – As palavras não saiam da sua boca tamanho era o seu pavor.

- Não tenha medo, eu ainda não vou lhe fazer mau, agora acalme-se e sente na minha frente.

Paulo sentou na frente daquela coisa nojenta, ele estava apavorado mais a minha curiosidade foi maior e me fez sentar ao invés de sair correndo.

- Eu preciso de um corpo pra passar pro seu mundo, como você está vendo a forma que eu apresento no seu mundo não é das melhores, por isso eu vou tomar o seu corpo pra mim, essa casa é um portal entre dimensões diversas, mas a passagem não é segura, e quem atravessa sofre as consequências. E aqui estou eu, nessa forma horrenda esperando a minha libertação que finalmente chegou.

Paulo começa a suar frio e a tremer, ele tenta se levantar pra correr, mas a criatura estava o controlando, Paulo já não controlava nenhuma parte do seu corpo. A criatura começa a se mexer na cadeira e a aumentar de forma se expandindo até cobrir o corpo de Paulo, a gosma entra na pele de Paulo e o domina completamente. De posse de um corpo a criatura agora pode colocar em pratica o seu plano de dominar a raça humana.

Um comentário:

LENDAS URBANAS

LENDAS URBANAS

Postagens populares

100.000

100.000

Página no Facebook